domingo, 21 de novembro de 2010

SÓ VOCÊ


Morena Flor de Liz, Flor de Luz.
Trago comigo Pazul e sei porquê...
Só me basta lembrar-me de Você,
Pra que se torne leve minha pesada cruz.

À noite, ao me deitar, basta-me que
Eu me esqueça daquilo que traduz,
Sofrimento, tristeza, sombra e Luz,
Pois pra ser feliz – basta-me Você.

Seu olhar cor-de-mel e seu sorriso encantador,
Cerrando os olhos é o que diviso,
E não me importa, linda, se não crê.

Porque eternamente está em mim,
Pra que eu seja feliz até meu Fim,
Bastou-me e basta Musamada, só Você.

(Eugenio Santana – do livro inédito de sonetos “FRAGMENTOS DO OUTONO”, produzido durante o meu “exílio carioca”: Rio de Janeiro, de 29/5 a 22/11/2010. Maktub!)

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

The Secret of Staying In Love


Responder ao chamado do amor requer muita coragem e determinação, porque expor-se sempre envolve o risco de ser gravemente ferido. Mas sem transparência o amor é impossível, e sem amor a vida humana é terrivelmente incompleta.
Os que estão dispostos a amar acabarão encontrando o amor. E então o espelho estará ali, o espelho que reflete a imagem de uma pessoa amorosa: esse é o começo da verdadeira auto-estima e da autocelebração. É por isso que Viktor Frankl diz que a origem da verdadeira auto-estima encontra-se no “reflexo do apreço daqueles a quem amamos”.
A melhor maneira de descrever o amor é dizer que se trata de um processo gradual, um longo movimento circular que precisa ser cuidadosamente negociado, não um ângulo reto que se faz num instante, de uma vez por todas. Um homem e uma mulher precisam começar uma longa viagem e andar muitos quilômetros antes de encontrar as alegrias do amor. Terão de atravessar florestas profundas e sombrias, e haverá muitos perigos. Terão de ser muito cuidadosos com o amor do que com as outras coisas. O amor requer abstinência de tudo quanto pode mostrar-se venenoso para ele.
Requer muita coragem, persistência e autodisciplina.
Mas a viagem para o amor é a viagem para a plenitude da vida, pois é somente na experiência do amor que os seres humanos podem conhecer a si mesmos.

(copy-desk by Eugenio Santana, FRC – jornalista e escritor. E-mail: autor-e.santana@bol.com.br / MSN: esantanafrc@hotmail.com (21) 7177-6359.)

domingo, 14 de novembro de 2010

ARTHUR RIMBAUD RETIRA QUEIXA CONTRA PAUL VERLAINE


Eu, abaixo-assinado, Arthur Rimbaud, 19 anos, homem de letras, com endereço fixo em Charleville (Ardennes, França), declaro, em nome da verdade, que na quinta-feira, dia 10 do presente mês, por volta das 2 horas, no momento em que o Sr. Paul Verlaine, no quarto de sua mãe, deu, com seu revólver, um tiro que me feriu levemente o punho esquerdo, o Sr. Verlaine se encontrava em um estado tal de embriaguez que não tinha consciência de seus atos.
Que estou intimamente convencido que, ao comprar esta arma, o Sr. Verlaine não tinha nenhuma intenção hostil contra mim e que não houve nenhuma intenção criminosa no ato de trancar a porta sobre nós.
Declaro também propor, de espontânea vontade, e consentir na minha desistência pura e simples de toda ação criminal, correcional e civil e desisto, a partir de hoje, dos benefícios de toda demanda judicial que possa vir a ser feita pelo Ministério Público contra o Sr. Verlaine pelo fato do que aqui se trata.
Arthur RIMBAUD
Sábado, 19 de julho de 1873.

RIMBAUD está vivo. Rimbaud é um fenômeno literário que não morrerá em nossa memória.
Rimbaud é um marco zero na História da Literatura.
Sua radicalidade, que o levou à renúncia e ao silêncio, merece um tributo especial e uma reflexão permanente.
Os poetas e os escritores do século XX, os surrealistas, os “beatniks”, os “hippies”, os jovens rebeldes – todos lhe são devedores.
A influência de Rimbaud sobre cantores de rock como Jim Morrison é inegável. Até no cinema, o polêmico personagem da série "Rambo" tem seu nome nele inspirado. Cultuado pelos decadentes, simbolistas, existencialistas, beatniks, hippies, punks, revoltados de maio de 1968 e hardcores, sua poesia adquire cada vez maior modernidade. No ano de 1905, foi inaugurado na Praça da Estação, em Charleville, um busto de Rimbaud.
Em Harrar encontra-se uma rua com seu nome e todo ano um "Safári Rimbaud" é organizado por um grupo de turístico belga. No golfo de Aden, uma curiosa embarcação pode ser avistada singrando livremente o mar Vermelho: É o rebocador Arthur Rimbaud! Ele com certeza teria gostado desta última homenagem.
Vítima de um câncer na perna que foi amputada, devido aos sofrimentos que vivenciou na Abissínia, Rimbaud morreu nos braços de sua irmã Isabelle, quem mais o amou, e suas derradeiras palavras proferidas: "Me digam a que horas vão me levar para o navio".

(Copy-Desk by EUGENIO SANTANA, FRC – poeta, escritor, jornalista, ensaísta literário e, sobretudo, alter-ego de Arthur RIMBAUD, Drummond e Fernando Pessoa. Após participar da primeira sessão do Santo-Daime, a convite do meu padrinho literário Paulo Nunes Batista, ele me confidenciou que, em Vidas Passados, fomos amigos e companheiros de Jean-Nicolas Arthur RIMBAUD, em Paris, na França. Mais um mistério a ser desvendado em minha vida...)

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

NÃO SEI O SEGREDO DO SUCESSO; MAS O DO FRACASSO É QUERER AGRADAR A TODOS


O que é verdade para os povos da floresta é verdade também para os humanos. Deus não nos fez todos iguais. Ele nunca teve essa intenção. Foi Ele quem planejou e projetou as diferenças, as capacidades singulares e a variedade de dons ou talentos.
Se Deus fez de você um pato - então é um pato, amigo. Nade como um louco, mas não tente modificar sua forma só porque corre cambaleando ou agita suas asas sem conseguir voar muito bem. Além disso, se você é uma águia, pare de criar expectativas quanto aos esquilos voarem ou quanto aos coelhos construírem os mesmos tipos de ninho que você.
Não existe nada mais libertador do que a VERDADE. Como sou? Quais as áreas em que me destaco? Quais as áreas em que tenho dificuldade? O que é que me dá prazer? Onde é que me sinto infeliz? Não se trata de constatar isso para acomodar-se na situação, mas sim investir no que deseja de fato desenvolver.
A melhor autoconfiança é fundamentada em uma avaliação realista de todas as nossas habilidades. Só essa avaliação será capaz de iluminar os caminhos para a realização pessoal.
Por conseguinte, relaxe. Aproveite sua espécie. Cultive suas próprias capacidades, seu próprio estilo. Aprecie os membros de sua espécie e de sua sociedade como eles são, mesmo que visuais ou estilos deles possam estar a quilômetros de distância dos seus. Coelhos não voam. Águias não nadam. Patos são cômicos tentando escalar. Esquilos não têm penas.
Pare de comparar. Seja feliz sendo você mesmo! Existe bastante espaço na floresta para todos.
"Conhecer os outros é inteligência; conhecer a si mesmo é sabedoria de verdade."

(Eugenio Santana, FRC - é escritor, jornalista e poeta. E, principalmente, um self-mad man.)